“Dizem que os acadêmicos e os intelectuais devem ser neutros, mas não existe neutralidade no pensamento.”

Florestan Fernandes

31.3.11




Carta Aberta à Sociedade
Carta dos trabalhadores da Flaskô, dos moradores da Vila Operária e de toda população que participa do projeto Fábrica de Cultura e Esporte à sociedade:

AUDIENCIA PÚBLICA PELA DECLARAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL DA ÁREA DA FLASKÔ
QUINTA, DIA 31/03/2011 19H CÂMARA VEREADORES DE SUMARÉ/SP
Concentração às 18hs no Paço Municipal em Campinas

No dia 31 de março, quinta-feira, às 19h, está marcada uma Audiência Pública na Câmara dos Vereadores de Sumaré para lutar pela aprovação do projeto de lei que declara como de interesse social a área da Flaskô, que também envolve a Vila Operária e da Fábrica de Esportes e Cultura.

Esta declaração de interesse social é muito importante, visto que é o primeiro passo para que a fábrica, a vila e o espaço de lazer sejam estatizados (sejam retirados do nome do antigo dono e se tornem patrimônio público) e para que o governo seja obrigado a dar as condições básicas de moradia à Vila Operária.

Assim, será reconhecido em lei que estes espaços são áreas importantes às camadas mais pobres da população, uma vez que dão direito ao trabalho digno, à moradia, ao esporte e à cultura.

A desapropriação se dá em 2 partes: a primeira é esta em que só se declara que a área é de interesse social. Depois disso a Administração Pública poderá verificar, analisar o bem, inclusive realizando obras para o interesse da comunidade e em até 2 anos ir atrás de recursos para a desapropriação propriamente dita. Este pagamento pode ser dar por meio de títulos da dívida pública e/ou compensação tributária, ou seja, não precisa ser em dinheiro.

Como fim desta luta, o que queremos é a estatização da fábrica Flaskô com controle dos trabalhadores, ou seja, que se torne uma propriedade da sociedade e não de um ou alguns que exploram o trabalho de outros. E que esta seja acompanhada do direito e reconhecimento de que quem deve tomar as decisões sobre ela mesma são os próprios trabalhadores, como vem sendo feito desde sua ocupação em 2003. Ou seja, um patrimônio público, sob gestão democrática dos trabalhadores.

Para a Vila Operária reivindicamos a concretização do direito à moradia e a regularização dos lotes ocupados por mais de 350 famílias. A Vila Operária já tem seis anos de existência e não tem água nas casas, não tem escoamento de esgoto, não tem iluminação pública e não tem ruas asfaltadas. É um absurdo o poder público se abster da realização dos serviços públicos às 350 famílias que vivem na Vila Operária em situação extremamente precária.

Com relação à Fábrica de Esportes e Cultura, queremos que ela se torne um Centro Cultural Municipal sob controle de seus coordenadores, educadores e daqueles que participam de suas atividades. Nele atualmente já acontecem muitas atividades (em sua grande maioria, gratuitas), mas se fosse um espaço municipal teríamos recursos para contratar mais profissionais e torná-lo um grande centro cultural de Sumaré, cidade que quase não tem atividades culturais e esportivas.

Ou seja, o projeto de lei apresentado é de interesse de todo(a)s que lutam por uma sociedade justa, livre e igualitária. Garantimos na prática o interesse social que a Constituição Federal, e todas as leis tratam. Agora, precisamos de seu reconhecimento formal/legal para que as conquistas realizadas não sejam perdidas, e possamos avançar.

Para que tudo isso possa acontecer, é de grande importância que haja o maior número de pessoas nesta audiência pública para mostrar ao Prefeito e à sociedade de forma geral que realmente estas reivindicações são importantes e de interesse de toda a população. Sabemos que somente organizados, pressionando o poder público, conquistaremos os avanços sociais.

Por isso, contamos com o apoio e a presença de todos para conquistarmos a declaração de interesse social da área da Flaskô, envolvendo a Vila Operária e a Fábrica de Esportes e Cultura.

Declaração de Interesse Social da Flaskô, Vila Operária e Fábrica de Cultura, já!
Qualquer dúvida, entrem em contato conosco: rafaelpratacps@yahoo.com.br – Prata (19) 9828-3063
Movimento de Fábricas Ocupadas – Conselho de Fábrica Flaskô - www.fabricasocupadas.org.br

Nenhum comentário: