“Dizem que os acadêmicos e os intelectuais devem ser neutros, mas não existe neutralidade no pensamento.”

Florestan Fernandes

9.11.14

A fome

A fome secou meu corpo
Invadiu meu peito e minha mente
Tomou posse 
Tomou conta
Tornou cíclo
Tornei-me seca sertão
Nordeste árido 
Cacto de chão rachado
A fome não tem só um nome
Pode ser vida 
Despedida,
Pode ser amor
Mas também pode ser dor
Eu tenho fome de tudo
Vivo rodando pelo mundo 
Só que o alimento não veio
A chuva não veio
A fome secou meus olhos 
Nenhuma lágrima brotou
Nenhuma flor surgiu
Sementes? não trouxe o vento
A fome secou as areias, secou o tempo
A fome é espelho, devaneio
A fome é saudade 
Vazio
Desespero
Tormento
A fome é veneno
Te consome
Te infecta
Te desafia
Te desperta
E mais dia menos dia é também descoberta
A fome pode ser simbólica
Literal
Exagero
Ou uma grande Ilusão 
Para ela, a vida pode ou não trazer o pão
Mas em todas as suas formas 
No meu peito deixa um vão.